14/11/2015

Ocelular está presenteem 91,1% dos domicílios brasileiros, sendo o único tipo de telefone em 563% deles. Só 37,1% das residências ainda têm telefone fixo convencional, segundo dados da Pnad de 2014.

O levantamento mostra uma mudança rápida na forma com que os brasileiros se comunicam. A telefonia fixa, que em 2004 ainda superava os celulares, tem se tomado cada vez mais rara na casa do brasileiro, sendo o único tipo de telefone em apenas 2,4% das casas.

O IBGE não mede em sua pesquisa domiciliar o percentual de aparelhos fixos contratados via combos, oferecidos por empresas deTV paga e provedores de serviço de internet Mesmo assim, a gerente da Pnad, Maria Lucia Vieira, disse que provavelmente o número de telefones fixos seria menor sem as vendas em pacotes.

"Eu só tenho telefone fixo porque assinei um pacote de televisão, mas mesmo assim só recebo no fixo ligação de telemarketing", disse a pesquisadora do IBGE A Pnad também mostra uma leve queda no número de domicílios com acesso à internet por computador. A parcela de casas conectadas à rede por meio de desktops e notebooks caiu de 42,41%, em 2013, para 42,1%.

Segundo FabioSenne,coordenador deprojetos epesquisas do Cetic.br, entidade que estuda a adoção de tecnologias de comunicação, a difusãodo acesso à internet tem ocorrido pelos celulares. Segundo o Cetic. br, o crescimento da internet é pelo celular.

Outro dado presente naPnad mostra que os aparelhos de DVD têm se tomado menos comuns nos lares do país: houve queda de 72,1% em 2013 para 68,0% no ano passado, (DANIEL MARCONDES).

Fonte: Folha de S. Paulo