17/06/2015

Ethevaldo Siqueira Escritor e jornalista, especializado em novas tecnologias de informação e comunicação.

O grande salto proporcionado pelas tecnologias da informação e comunicação.(TICs) neste começo do século 21 decorre, principalmente, do aumento exponencial da velocidade de circulação das informações promovido pela internet em banda larga.

Um fato que precisa ser destacado hoje no Brasil é o uso da internet na educação. Já são mais de 84 mil escolas públicas (dados de março de 2015) com acesso gratuito à banda larga, numa rede oferecida gratuitamente aos alunos pelas operadoras de telecomunicações. Essa é uma pequena amostra dos benefícios que a banda larga poderá proporcionar, tanto para apoio à pesquisa, à elaboração de trabalhos escolares e ao dia a dia das escolas públicas, pois boa parcela dos estudantes utiliza smartphones, tablets ou laptops.

Diversas instituições já oferecem a seus alunos a repetição de aulas via internet, permitindo um estudo mais eficiente com reforço da aprendizagem. Universidades brasileiras ampliam seu alcance cultural com cursos a distância (e-learning) -- tais como USP, Unicamp e UFRJ. É claro que o Brasil ainda precisa investir mais no treinamento e aprimoramento dos professores que vão utilizar os novos recursos da banda larga e da computação em nuvem.

Milhões de brasileiros também são beneficiários da banda larga em iniciativas relevantes na área da saúde, como ocorre na transmissão de diagnósticos de imagem, entre eles os de raios X, ultrassonografias e tomografias. A telemedicina deixou de ser tema futurológico para se incorporar ao cotidiano. Graças a esse avanço, a cada dia mais cidadãos das regiões mais remotas do país passam a ter acesso aos diversos serviços de saúde por meio de seus dispositivos móveis, laptops ou desktops instalados em postos de saúde, hospitais e maternidades.

A internet e, em especial a banda larga, depende de uma infraestrutura moderna e confiável de telecomunicações que, no caso brasileiro, foi implantada ao longo dos últimos 16 anos. E seu crescimento tem sido extraordinário nesse período, após a privatização da Telebrás, ocorrida em julho de 1998. A partir da privatização das telecomunicações, o Brasil atraiu investimentos de quase R$ 400 bilhões na infraestrutura e na oferta de novos acessos de telefonia móvel e fixa, banda larga fixa e TV por assinatura.

Com esses investimentos privados, em menos de duas décadas o número de acessos móveis no Brasil saltou de 5,2 milhões para 283,5 milhões em abril de 2015. Em paralelo à expansão da telefonia móvel, o país experimentou nos últimos anos um dos mais surpreendentes avanços da internet, em particular da banda larga móvel. Tudo isso sem nenhuma legislação impositiva, sem nenhuma obrigação contratual. O sucesso está na marca extraordinária dos mais de 200 milhões de acessos em banda larga hoje à disposição dos brasileiros.

Além de mudar nosso modo de viver, de trabalhar e de divertir, a internet de alta velocidade tornou-se uma das mais poderosas alavancas de desenvolvimento do próprio país. Esse avanço tecnológico se torna decisivo para as transformações mais positivas da economia e da qualidade de vida da população.

Fonte: Ethevaldo Siqueira - Estado de Minas