25/02/2015

Ganhos de produtividade de prestadoras de serviços são passados aos usuários.

Em uma trajetória oposta à elevação de tarifas de serviços públicos e de insumos essenciais para o desenvolvimento da economia, os preços dos serviços de comunicação, entre eles telefonia, internet e TV por assinatura, apresentaram queda em 2014 e estão contribuindo para aliviar o bolso do consumidor e para a redução de custos de empresas e governos, destaca Telebrasil - Associação Brasileira de Telecomunicações.

Segundo dados do Banco Central, o item comunicação foi o que menos pesou na inflação, registrando queda de 1,51, enquanto o índice geral do IPCA ficou em 6,23. Considerando a telefonia fixa, por exemplo, a queda foi 6,46, enquanto o índice total do IPCA dos preços monitorados em 2014 foi de 5,20.

Nesta terça-feira (24) entrou em vigor uma nova redução das tarifas das ligações entre telefones fixos e celulares, que ficaram 22% mais baratas, em média. A Telebrasil também ressalta que, na telefonia celular, desde 2008, o preço médio do minuto caiu 55%, chegando a R$ 0,14. Estudo da consultoria Teleco mostra que o preço do minuto do celular no Brasil é o quarto mais barato, na comparação com um grupo de18 paísesquetêm57%dos acessos ativos de todo o mundo. Outro levantamento da Teleco revela que o preço da banda larga móvel está entre os mais baixos, sendo o segundo mais barato no segmento móvel pré-pago.

"Esses números revelam que os ganhos de produtividade gerados pelas prestadoras de serviços de telecomunicações estão, efetivamente, sendo transferidos para os usuários, permitindo que mais brasileiros tenham acesso aos serviços e às facilidades que eles proporcionam.Étambém uma oportunidade para queempresas deoutros setoresdaeconomia eórgãos públicos passem a usar com mais intensidade e abrangência os serviços de telecomunicações, integrados à tecnologia da informação, aumentando consequentemente a cobertura dos seus mercados e serviços, as escalas de produção e atendimento, a geração de ganhos de produtividade, a competitividade e a satisfação dos usuários", diz nota da Telebrasil.

Fonte: JB Online