09/12/2014

A Freakom expande o acordo com Claro, TIM e Vivo de chamadas gratuitas em troca de inserção publicitária. A Freakom, um canal de mídia, fechou acordo com Claro, TIM e Vivo para a realização de chamadas gratuitas em troca de inserção publicitária.

No caso da Claro e TIM o usuário da Claro e da TIM deve discar *4040+DDD+Número a ser chamado e ouvir uma mensagem publicitária. Na Vivo, o usuário também disca *4040 e segue o tutorial. Na sequência, receberá um tempo patrocinado, grátis, para chamadas. A Freakom ainda promove a interação dos usuários com as campanhas, permitindo ao consumidor clicar para receber mais informações.

A parceria, que já havia sido firmada com a Vivo na cidade de São Paulo, chega agora aos clientes da operadora também, no Rio de Janeiro e Espírito Santo, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Alagoas, permitindo que mais 41 milhões de usuários tenham acesso ao serviço.

Cerca de 144 milhões de usuários ativos. Com isso, a Freakom passa a ter 68% de share da telefonia móvel. O mobile marketing já atrai 25% do tempo de atenção das pessoas, mas só recebe, por enquanto, 4% de todos os investimentos de comunicação no mundo. Em breve, telefones públicos e fixos também terão acesso ao canal de mídia.

"Temos uma solução tecnológica única para o sistema, patenteada, e a melhor em telecom, na avaliação dos principais anunciantes e agências do mercado. Somos a única empresa do país com expertise neste tipo de mídia. O pioneirismo da Freakom trouxe um conhecimento único sobre o uso de telecom dos assinantes, benefícios oferecido aos anunciantes de ligações patrocinadas com ótimos resultados alcançados nas campanhas", assinala Jean-Marc Schiffler.

Estatísticas da Anatel, referentes a julho de 2014, mostram que o usuário de telecom pré-pago no Brasil fala em torno de 133 minutos por mês ou 4,43 minutos ao dia e as ligações têm em média de 20 a 30 segundos. "A base pós-paga também foi liberada para usar o serviço e tivemos uma ótima adesão - em particular dos planos tipo controle. Ter uma vantagem a mais é sempre bom", finaliza Schiffler.

Fonte: Telesíntese