25/11/2014

As redes e serviços para atender a demanda da Copa doMundo, ainstalação dainfraestrutura dequarta geração da telefonia celular (4G )e a expansão do tráfego de dados foram responsáveis pelo investimento de RS 19 bilhões das empresas de telecomunicações de janeiro a setembro, 7,8% superior aos nove primeiros meses de 2013, informou o presidente- executivo do SindiTelebrasil, Eduardo Levy. A entidade reúne fabricantes de equipamentos e prestadores de serviços de telecomunicações.

Ele não fez previsões sobre o total que será investido até dezembro, mas o Valor apurou que a taxa de crescimento deve continuar superior à do ano passado, quando os investimentos somaram R$ 29,3 bilhões. Historicamente, nos últimos três meses do ano a aplicação de recursos é mais acelerada, pois as empresas correm para fechar os montantes previstos nos contratos antes que o exercício termine.

Segundo o SindiTelebrasil, desde 2001, as teles já destinaram RS 74,8 bilhões para fundos setoriais. Praticamente a totalidade desses recursos foi para o Tesouro Nacional. Apenas 6% foram destinados à pesquisa por meio do Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações (Funttel).

Até o terceiro trimestre deste ano foram recolhidos R$ 400 milhões para o Funttel; R$ 1,2 bilhão para o Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust); e R$ 3,3 bilhões para o Fundo de Fiscalização das Telecomunicações (Fistel).

Toda vez que é habilitado um acesso de telefonia celular, aoperadora recolheR$26,86 para o Fistel. E todo ano, em março, as teles recolhem R$ 13,41 por linha ativada. O Brasil tem cerca de 280 milhões de acessos habilitados.

Fonte: Heloísa Magalhães - Valor Econômico