24/11/2014

BRASÍLIA - O SindiTelebrasil, que representa as empresas de telefonia, contestou as conclusões da União Internacional de Telecomunicações (UIT) sobre o custo do serviço no país. Conforme o SindiTelebrasil, a UIT utilizaria dados defasados ou descolados da realizade brasileira para elaborar o ranking.

O sindicato das empresas já havia apresentado no começo de outubro um estudo da consultoria Teleco que tenta desconstruir os parâmetros utilizados pelo organismo internacional. Para as operadoras, o minuto do celular pré-pago no Brasil é o quarto mais barato do mundo , enquanto para a UIT o Brasil tem o 58º serviço mais caro do mundo, em uma comparação com 166 países. Segundo o SindiTelebrasil, a UIT considera em seu documento uma espécie de 'preço-teto', homologado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), mas que não é praticado no país.

 "O preço médio do minuto do celular é de cerca de US$ 0,07, o que representa 13% do preço apontado pelo levantamento da União Internacional de Telecomunicações (UIT)", afirmou o SindiTelebrasil por meio de nota.

"No Brasil temos 278 milhões de clientes e uma infinidade de planos que faz com que o preço real do minuto de ligação seja bem mais barato do que foi apontado pela UIT", completou a entidade.

Conforme a Anatel, o preço médio que os brasileiros pagam pelo minuto da chamada do celular R$ 0,16. O valor considera, de forma combinada, as taxas praticadas pelos planos pré e pós-pagos.

De acordo com a agência, a análise de preços é feita considerando a quantidade de minutos tarifados e a receita total gerada por este tráfego.

Fonte: Hoje em Dia MG, através da Agência Estado e Folha Press